Author Archives: hemoseadm

Atividades externas divulgam serviço de doação de sangue e o cadastro de medula óssea do Hemose

O último final de semana foi de informação e orientações sobre a importância e os critérios para doação de sangue e o cadastro para doador de medula óssea. As atividades desenvolvidas em parceria com a Universidade Tiradentes (Unit) foram acompanhadas pelas gerentes de Captação e Coleta, Josceline Souza e Florita Aquino do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose).
A primeira ação no terminal de Integração do Distrito Industrial de Aracaju (DIA), cerca de vinte acadêmicos do 5º período de enfermagem, desenvolveu o projeto ‘Saúde no Ponto’. Na oportunidade, o grupo conversou com a população sobre o serviço e sensibilizou o público sobre o ato de doar sangue regularmente.
Durante a conscientização de saúde a gerente de Captação falou com os usuários do transporte integrado, chamando a atenção para a importância de fidelização a doação. “Esse projeto é bastante interessante, pela possibilidade de conversar diretamente com os diferentes públicos que circulam pelo terminal”, ressaltou a assistente social, Josceline Souza.
O acadêmico Elton Aleme, do ‘Saúde no Ponto’ explicou que cerca de 4.500 pessoas passaram pelo terminal do DIA. Desses, cerca de 1.200 foram abordados pelos estudantes. “Com esse trabalho de campo percebemos que a população compreende sobre a importância da doação de sangue, os seus critérios e o papel que o Hemose desempenha nesse processo”, disse ao informar.  “Também conseguimos identificar diversos usuários que já são doadores fixos ou que já doaram alguma vez”, relatou.
Na atividade seguinte, no Shopping Jardins, o Hemocentro de Sergipe divulgou e coletou amostras com 4 ml de sangue para o Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). O trabalho contou com a participação de acadêmicos de biomedicina, que realizaram abordagens aos visitantes e coletaram as amostras.
“Eu sempre quis fazer serviço comunitários para ajudar as pessoas. Mas ainda não consegui, quando vi essa movimentação procurei informações e me interessei pelo cadastro. O meu cadastro pode salvar a vida de um paciente que precisa encontrar um doador compatível para o transplante da medula óssea”, comentou o estudante Flanklin José Santos de Souza.
Segundo avaliação da enfermeira Florita Aquino, as atividades aproximam os diversos públicos à unidade de hemoterapia. “Esses projetos realizados com a parceria de instituições de ensino, colaboram com a divulgação dos serviços realizados no Hemose. Os estudantes além de multiplicadores serão futuros profissionais da saúde em Sergipe”, salientou.
Agendamento
O Hemocentro de Sergipe disponibiliza para o público os serviços de agendamento de campanhas para doação de sangue, o cadastro de medula óssea e visitas técnicas. A unidade funciona diariamente de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 17h. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Hemose recebe grupos de doadores de Boquim e Nossa Senhora Aparecida

Nesta sexta-feira, 9, o serviço de doação de sangue e o cadastro de medula óssea do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) recebeu  dois grupos de voluntários oriundos dos municípios de Boquim e Nossa Senhora Aparecida. Os doadores colaboraram com os estoques de sangue e a renovação das plaquetas, componente do sangue, que tem validade de cinco dias e, é bastante utilizado para atendimento de pacientes em tratamento oncológico e leucemias na rede hospitalar.
Valdemir Evangelista Santana, responsável pelo grupo do povoado Cruz das Graças em Aparecida, ressaltou a importância da doação e, por isso, se dedica a cada quatro meses reunir familiares e amigos para doar. “Percebi que o serviço é muito importante, depois que meu filho passou por tratamento e fez transplante de rins”, lembrou ao relatar que em seu grupo tem doadores fidelizados e novatos. “A cada ação do grupo mais pessoas se interessam, hoje eu vim com 26 voluntários”, informou satisfeito.
As doadoras fidelizadas, Sandra Oliveira de Jesus e Maria José Andrade Santana apoiam a iniciativa do amigo de Nossa Senhora Aparecida. “Esse incentivo de Valdemir é muito importante para que as pessoas deixem um pouco seu trabalho e sua casa para vim ajudar, espalhando amor e esperança. Porque a doação é tudo isso”, confirmaram.
Para as amigas Edneuma de Jesus Santos Silva e Aline Nascimento, responsáveis pelos doadores de Boquim, a doação é um ato que necessita da boa vontade das pessoas. “Os pedidos para
ajudar pacientes, principalmente as crianças internadas para tratamento de câncer ou leucemia chama a atenção das pessoas, que se interessam em vim, e quem não doa sangue conhece o serviço para falar com a família ou com os amigos”, disse Aline.
A equipe de Captação do Hemocentro de Sergipe trabalha para fidelização de doadores. “Toda vez que recebemos os grupos é motivo de alegria, por saber que eles são responsáveis pela multiplicação das informações sobre a necessidade de doadores frequentes, para assegurar o atendimento da demanda transfusional nos hospitais”, destacou a gestora do setor, Josceline Souza.
Critérios
Estão aptos a doar sangue candidatos em bom estado de saúde, idade entre 16 a 69 anos, peso acima de 50 quilos. Menor de 18 anos somente com termo de autorização dos pais ou responsável legal. É necessário apresentar documento de identidade original e com foto válido em todo território nacional. O documento está disponível para download no site do Hemose: www.hemose.se.gov.br. Mais informações através dos telefones: (79) 3225-8000, 3225-8039 e 3259-3174.

Workshop destaca ciclos de produção e tratamento do sangue

A palestra sobre patologias do sangue, os riscos e benefícios da transfusão sanguínea, ministrada pela médica oncohematologista, Lourdes Alice Marinho, encerrou o 1º Workshop Hemoterapia do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose). O evento realizado nesta quinta-feira, 8, contou a participação de gestores, profissionais e acadêmicos  dos cursos de biomedicina, enfermagem e medicina.
Na abertura das atividades o superintendente da unidade, Sérgio Costa Viana, destacou a importância do conhecimento cientifico. “O assunto sangue é um tema que diz respeito à vida de todos nos, em algum momento, um familiar ou conhecido nosso precisou, ou, poderá precisar de transfusão. Vocês enquanto futuros profissionais serão os multiplicadores da importância do sangue para o atendimento hospitalar”, disse.
Durante as primeiras palestras do workshop o público conheceu conceitos básicos aplicados em imunohematologia, para liberação do sangue que é transfundido nos hospitais. “É necessário à realização de testes pre-transfusionais e para isso precisa haver o entendimento das interações antígenos-anticorpos que ocorrem para liberação de hemocomponentes o mais compatível possível trazendo benefícios e segurança para o paciente”, declarou Ana Paula Prata, gerente do serviço no hemocentro de Sergipe.
A gestora de Máquinas e Equipamentos da Fundação Parreira Horta, Rita Farrapeira, apresentou a gestão de equipamentos da hemorrede pública, enfatizando a sua importância para a segurança dos procedimentos realizados na unidade de hemoterapia. “O Hemose possui um parque de equipamentos instalado de baixa, média e alta complexidade, são geladeiras, freezers, centrifugas, separadores, homogeneizadores de bolsas de sangue, analisadores automatizados no processo de coleta, análises sorológicas, produção e acondicionamento do sangue”, detalhou.
Outro tema importante abordado no evento foi o manejo dos resíduos de serviços de saúde. Na oportunidade, o gestor Ambiental da Parreiras Horta, Jefter Costa Oliveira citou as legislações que do serviço a RDC 222/2018 e a resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA) 358/2015.  “Essas leis tem como objetivo a conscientização para os riscos, aspectos ambientais e segurança dos funcionários envolvidos no manejo de resíduos, cuja finalidade é minimizar, reutilizar, reciclar e quando isso não é possível, realizar a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde adequadamente, protegendo a saúde e o meio ambiente”, alertou o químico industrial.
Avaliação
O biomédico Weber Teles, responsável pela organização do evento, ressaltou que a atividade propôs uma análise geral do sangue, desde as patologias, passando pela produção, análise e manejo dos resíduos. “Estou satisfeito reunimos nesse primeiro workshop profissionais do hemocentro. Nos próximos eventos, convidaremos gestores de outras áreas que compõe a cadeia produtiva do sangue para que eles possam falar de suas experiências e expertises”, destacou Teles.

Hemose realiza workshop sobre o sangue e seus componentes

Nesta quinta-feira, 8, a partir das 8h30, o Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) realiza o 1º I Workshop Hemoterapia. O vento tem como objetivo levar esclarecimentos sobre o sangue, doenças, tratamentos e processos de produção – hemácias, plaquetas e plasma. A atividade de promoção à saúde que acontece no auditório do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no Centro Administrativo Governador Augusto Franco dará inicio a programação em comemoração ao Dia Nacional do Doador de Sangue, celebrado no dia 25 de novembro.

De acordo com o biomédico, Weber Santana Teles, o evento realizará uma abordagem cientifica do sangue ao falar das hemoglobinopatias e coagulopatias hereditárias. “Falamos muito da doação de sangue e não discutimos sobre as doenças originarias a partir de uma alteração dos glóbulos vermelhos e a ausência de alguma proteína do sangue”, explica ao acrescentar. “O propósito do workshop é apresentar o sangue em suas especificidades, abordando as doenças e os tratamentos realizados com a transfusão sanguínea”, ressalta.

O workshop tem como público alvo, médicos, enfermeiros, técnicos e estudantes da área de saúde. A atividade visa apresentar os serviços realizados no hemocentro de Sergipe, a exemplo do atendimento ambulatorial a portadores de doenças do sangue, coleta, operacionalização de equipamentos nos processos de produção, testes pre-transfusionais e análises sorológicas, além do manejo de resíduos produzidos pelos laboratórios.

As temáticas serão apresentadas por profissionais do hemocentro, a médica hematologista, Lourdes Alice Marinho – Terapêutica transfusional das hemoglobinopatias; a biomédica, Ana Paula Prata – Conceitos básicos e aplicados em imuno-hematologia; administradora e engenheira clinica, Rita de Cássia Farrapeira – Gestão de equipamentos em banco de sangue; e o químico industrial, Jefter Costa Oliveira – Manejo de resíduos de serviços de saúde.

Atendimento

O sangue coletado, fracionado e dispensado no Hemose atende pacientes oncológicos, portadores de doenças hematológicas, renais, vítimas de atropelamento por automóveis e motocicletas que sofrem grandes sangramentos, assistidos na rede hospitalar do Estado. Para mais informações basta entrar em contato com a gerência do Ambulatório do Hemocentro de Sergipe, através do telefone: (79) 3225-8000 e 3225-8046.